RESENHA DO LIVRO ''NO ESCURO'' DE ELIZABETH HAYNES

Ei, abiguinhos!   
Na publicação de hoje, trarei a resenha de um dos livros mais perspicazes que já li, entrando para a galeria dos meus favoritos.
Bom, a resenha não terá spoilers, será objetiva, não quero estragar a curiosidade de vocês nem reprimir a sua atenção, exatamente para que leiam essa obra maravilhosa.

Indico muito, principalmente para quem esteja em relacionamentos abusivos.

Marco Birkheuer / No escuro


Ficha

  • Título: No Escuro
  • Autor: Elizabeth Haynes
  • ISBN-13: 9788580572292
  • ISBN-10: 8580572290
  • Ano: 2013
  • Páginas: 335
  • Idioma: Português (BR)
  • Editora: Intrínseca
  • Sinopse: Catherine aproveitou a vida de solteira por tempo suficiente para reconhecer um excelente partido quando o encontra: lindo, carismático, espontâneo... Lee parece bom demais para ser verdade. Suas amigas concordam plenamente e, uma por uma, todas se deixam conquistar por ele. Com o tempo, porém, o homem louro de olhos azuis, que parece o sonho de qualquer mulher, revela-se extremamente controlador e faz com que Catherine se sinta isolada. Amedrontada pelo jeito cada vez mais estranho de Lee, Catherine tenta terminar o relacionamento, mas, ao pedir ajuda aos amigos, descobre que ninguém acredita nela. Sentindo-se no escuro, ela planeja meticulosamente como escapar dele. Quatro anos mais tarde, Lee está na prisão e Catherine, agora Cathy, tenta reconstruir a vida em outra cidade. Apesar de seu corpo estar curado, ela tornou-se uma pessoa bastante diferente. Obsessivo-compulsiva, vive com medo e insegura. Seu novo vizinho, Stuart Richardson, a incentiva a enfrentar seus temores. Com sua ajuda, Cathy começar a acreditar que ainda exista a chance de uma vida normal. Até que um telefonema inesperado muda tudo. Ousado e poderoso, convincente ao extremo em seu retrato da obsessão, No escuro é um thriller arrebatador.

Uma obra prima do gênero! Um dos meus livros favoritos

Resenha (não contém spoilers)

Quando o gênero de um livro remete a suspense e mistério, é inegável que o autor tenha, ou pelo menos busque, um alicerce de habilidades para traçar o enredo, tendo em vista ser comum haver inúmeros furos em thrillers, devido a acomodação da escrita e a concepção de acontecimentos no-sense

Elizabeth Haynes, autora de ''No Escuro'' (seu primeiro romance) obviamente sabia disso, e pudemos lhe ver somando seu equilíbrio de coesão e coerência à um talento avassalador. 

Ela utilizou de um método muito comum na construção do seu personagem principal, no caso - Catherine - que alternou-se de mocinha infortunada à uma mulher preparada para confrontar os seus piores medos. O modo como essa edificação é feita não deixa a desejar, muito pelo contrário, surte muito efeito na evolução da história e na designação dos personagens secundários e do antagonista. 

Em uma espécie de prólogo, temos um ''roteiro'' redigido obviamente por um escrivão em uma audiência no Tribunal da Coroa de Lancaster, onde o acusado é Lee Brightman. Em seguida, é dado início à trama, que oscilava entre passado (quando Catherine conhece Lee) e presente (como ela vive atualmente após ter passado por um trauma devastador em sua vida, algo tão ruim a ponta de deixá-la com distúrbio obsessivo compulsivo). 

Tal libração temporal, entre o que aconteceu e o que está acontecendo, obtém sua própria independência ao expressar seus próprios conflitos (observa-se o quão são interessantíssimos) e assim caminhar todo o percurso da história até se encontrarem, dando todas as respostas para os segredos correntes, e por fim apresentar no ato final do clímax - um futuro perturbador.  

O antagonista, por vezes anti-herói, Lee, tem uma consistência possante e incomum, já que para um vilão sociopata era de se esperar algo bem genérico nas suas motivações, e o diferencial é mostrado quando Haynes dá um toque insano à seu personagem de modo que ele roube a cena e equilibre o nível de interesse dos leitores entre ele e Catherine. 

A peculiaridade do casal, numa relação abusiva, demonstra uma carta na manga da autora, que soube valorizar esse polêmico tema, e por fim, manuseou inúmeras reviravoltas onde, na maioria das vezes, o namorado tirano sai ileso, bem assim como realmente acontece no mundo real. Opa, temos aí uma crítica/ação socioeducativa. 

O desfecho da obra é relevantemente inteligente, conseguindo manter o nível de sagacidade e apresentando uma informação que condiz com um misterioso personagem-chave, este apresentado em tom sombrio logo nas primeiras páginas . 

ESPERE POR MIM, CATHERINE
EU TE AMO
- LEE

Notas

  • Construção de personagens: 25/25 : Apresentação e lapidação impressionante > de cada um deles.
  • Condução da trama: 25/25: A oscilação entre épocas é astuta, revelando um leque de respostas, além de novos questionamentos. Boa jogada para o ''roteiro'' de um julgamento.
  • Escrita/Tradução: 25/25 : O primeiro livro que leio dessa autora - ela é incrível. 
  • Fim: 23/25: O final de massante não  tem nada, genuinamente irá satisfazer a fome até do interlocutor mais aguçado.

  • Pontuação Final: 9,8/10 (PASMEM, O LIVRO COM MAIOR PONTUAÇÃO NO BLOG [até agora]

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo